HOMÍLIAS E OUTROS



ORIGEM DAS HERESIAS AMERICANAS

 


Por Mons. Dom José Kennedy de Freitas

Bispo de Confissão Anglicana


O mercado Norte Americano não para de produzir Novidades Teológicas. Desde o século XX que esta nação tem exportado não só softwares, chips, processadores, carros e celulares. Mas também todo tipo de ensino controverso para atender, das mais antigas até as mais recentes invenções, ao público consumidor evangélico mundial, e principalmente aos brasileiros.

DEFINIÇÃO DE HERESIA

Heresia é tudo aquilo que em matéria de fé, sustenta opiniões contrárias, excedentes e deturpadas da Palavra de Deus”. “Contrárias” – não aceitam as doutrinas bíblicas. “Excedentes” – ultrapassam aos ensinamentos bíblicos. “Deturpadas” – desfiguram e alteram as doutrinas da Bíblia.

ANTIGAS HERESIAS AMERICANAS

As heresias antigas produzidas em solo americano, geralmente tinham cara, nome e igreja. Quando surgiam, logo tomavam a decisão de sair do meio evangélico e partiam em direção contrária, mergulhando no exclusivismo e na prepotência que só eles estavam com a verdade. Podemos destacar as heresias que deram origem a várias seitas pseudocristãs hoje já bem conhecidas no Brasil, bem como outras não tão conhecidas como: Meninos de Deus e Ciência Cristã. Como as antigas heresias americanas vinham dentro de um rótulo denominacional, vamos trata-las como são chamadas hoje:

Adventismo do Sétimo Dia (ASD)
Genitor: Guilherme W. Miller (1782 a 1849)
Cognomes: Sabatistas
Heresias: A observância do sábado judaico como regra de fé cristã e meio de salvação, o sono da alma, o aniquilamento dos ímpios, a expiação de Satanás por nossos pecados, o juízo investigativo, a vinda de Jesus já ocorrida em 1844 de forma espiritual e etc.


Testemunhas de Jeová (TJ)
Genitor: Charles T. Russel (1852 a 1916)
Cognomes: Russelismo ou Jeovismo
Heresias: A negação da doutrina da Trindade, a negação da natureza divina de Jesus igual a do Pai, Cristo foi criado por Jeová Deus, o Espírito Santo é a força ativa de Deus e não uma pessoa, a ressurreição de Jesus Cristo não foi corpórea mas espiritual, a vinda de Jesus já ocorrida em 1914 de forma espiritual, o ser humano não tem uma outra substância chamada de espírito que si distingue do corpo, o nome híbrido “Jeová” é o único nome de Deus e fator divisor da religião verdadeira e falsa e etc.


Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (IJSUD)

Genitor: Joseph Smith Junior (1805 a 1844)
Cognomes: Mormonismo
Heresias: Deus é um ser de carne e osso, Jesus Cristo foi criado como filho espiritual pelo Pai e irmão de Lúcifer, Não há salvação sem a invocação do nome de Josefh Smith Jr, O livro do mórmon é a Palavra de Deus enquanto que a Bíblia tem algumas coisas que são doutrinas de homens, todas as outras igrejas cristãs apostataram da fé, o casamento pode ser poligâmico, há vários deuses e os membros mórmons poderão ser deuses, o batismo pelos mortos e etc.


Tabernáculo da Fé (TF)
Genitor: William M. Branham (1909 a 1965)
Cognomes: Unicistas
Heresias: Jesus é apenas um atributo de Deus ao invés de uma pessoa, o mesmo ocorre com o Pai e o Espírito Santo, por isso negam a doutrina da Trindade, a pregação de doutrinas legalistas e o batismo somente em nome de Jesus Cristo, contrariando e se opondo sem tréguas a celebração litúrgica do batismo nas águas em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.


Meninos de Deus (OU A FAMÍLIA)

Genitor: David B. Berg (1919 a 1995)
Cognomes: Família do Amor
Heresias: A prática de sexo é normal entre os membros da igreja e também com pessoas de fora para fins evangelísticos, a prática de adultério com o consentimento do marido, a prática do homossexualismo, a prática de sexo grupal, incesto, nudismo, Jesus era amante de Marta e Maria, o Espírito Santo é feminino e etc.

NOVAS HERESIAS AMERICANAS

Hoje as heresias americanas estão bem mais sutis. Elas não vêem mais com a rotulagem denominacional. São de multiuso e qualquer Igreja pode tomar emprestado. Por isso são mais perigosas do que as antigas. Numa comparação bem grotesca, as novas heresias americanas são como o terrorismo, um exército sem bandeiras, sem pátria e que não combate frente a frente.

Neopentecostalismo
Genitores: Essek William Kenyon (1867 a 1948), Kenneth Hagin (1917 a 2005).
Cognomes: Palavra da fé, Teologia da Prosperidade, Confissão Positiva, Movimento da Fé.
Heresias: Teologia de prosperidade, o poder das palavras, maldição hereditária, quebra de maldição, regressão, divinização do ser humano, influência dualista, divisão entre a Palavra de Deus: escrita e revelada (dividindo as palavras gregas “logos” e “rema”) e etc.


Neoteísmo
Genitores: Clarck Pinnock, Richard Rice, John Sanders e outros.
Cognomes: Teísmo Aberto, Teologia Relacional
Heresias: O atributo de Deus mais importante é o amor, descartando ou diminuindo os demais como a presciência, onisciência, soberania e eternidade, o futuro está em aberto para Deus, Deus se arrisca, Deus é vulnerável, Deus é mutável, pregam o livre arbítrio sob a perspectiva de uma liberdade libertária e etc.



Bibliografia:



Série Apologética editora ICP - volumes I, III e V, Teísmo Aberto editora Vida, Bíblia Eletrônica Online versão 3.1.


O QUE SIGNIFICA IGREJAS EMERGENTES?

Por Monsenhor Dom José Kennedy de Freitas – Ph.D
Bispo de Confissão Anglicana


Esse mais novo modismo, que se espalha no meio cristão mundial, chega ao Brasil e vem com um pacote cheio de novas doutrinas, são elas: teologia narrativa, teologia quântica, ortodoxia generosa, universalismo e teísmo aberto. Talvez você não ouse falar de nenhuma delas ou se ouviu, não tem opinião formada sobre o assunto ou não sabe bem o que é ou não é assunto do seu interesse. O fato é que elas estão se tornando populares em nosso país e vem se alastrando sutilmente pelas Igrejas cristãs.

O QUE É IGREJA EMERGENTE?



A Igreja Emergente é um movimento da Igreja Protestante, iniciado por americanos e ingleses, com a finalidade de alcançar a Geração Pós-moderna. Refletindo as necessidades e os valores percebidos desta geração, as Igreja Emergente enfatizam o autêntico, a expressão criativa e uma perspectiva sem julgamentos, procurando reavaliar as doutrinas. Igreja emergente é simplesmente um termo usado para denominar as igrejas que nasceram ou que foram [ré] estruturadas para um contexto pós-moderno, pós-cristão de ser Igreja no Mundo de hoje. As Igreja Emergente não possuem sistemas ou fórmulas, não possuem uma doutrina definida e tentam desconstruir as barreiras que as denominações impuseram.


As Igrejas que se tornaram e já nasceram “Emergentes” não se definem doutrinariamente, mesmo em pontos considerados biblicamente não secundários, é comum o ecumenismo teológico entre os seguidores desse novo movimento. Geralmente, eles são abertos a conceitos teológicos de outros seguimentos religiosos e aceitam alguns conceitos da teologia liberal sem problemas. Por isso, abraçam opiniões outrora rejeitadas pelo cristianismo conservador, e simpatizam do teísmo aberto ou teologia relacional.


Um artigo publicado na revista Christianity Today, Scot McKnight ressalta que a confissão de fé dos emergentes sempre é aparentemente comum em linhas gerais. Isso significa que eles dizem coisas publicamente que não acreditam realmente. O que isso quer dizer é que é possível um cristão emergente dizer que crê na onisciência de Deus e, na verdade, não acreditar nisso. Por exemplo, se um emergente defende os pressupostos do teísmo aberto, ele afirma que não crê em uma “onisciência exaustiva ou estática”, mas em uma “onisciência em movimento”, terminologia usada para camuflar o fato de que, na verdade, ele não acredita que Deus realmente sabe tudo. Cristãos mais desatentos, porém, acabam caindo nessa falácia. É a história do “eu acredito nisso, mas não como vocês”, e quando a pessoa começa a tentar descrever a sua posição, descobrimos que na verdade, ela não crê nem parcialmente no que cremos. Essa pessoa não crer nada do que cremos em relação àquele ponto defendido. Só usa de eufemismo para ocultar ou suavizar a verdade sobre seu pensamento.

SUAS HERESIAS

· A Teologia Narrativa




Os adeptos da Igreja Emergente são apaixonados pelo que chamam de Teologia Narrativa. De acordo com eles essa nova forma de ver a Bíblia está focada numa construção teológica diferente da teologia clássica, que é mais voltada para repetição dogmática ou rigidez científica, segundo eles. Ou seja, A Bíblia Sagrada não deve ser entendida como uma fonte doutrinária de único sentido, mas como uma narrativa devocional.

O objetivo dessa teologia é abolir quaisquer princípios de hermenêutica ou ortodoxia, classificando-os como “invenção” dos pais das teologias sistemáticas e de todos aqueles que sistematizaram as doutrinas bíblicas. Contudo, se esquecem de que a Bíblia primeiramente era chamada por LEI (Sl.1.2; Lc.24.44), ditada em linguagem humana. Contendo também história, profecia, parábola e poesia. Daí a necessidade de princípios de interpretação. Bem como da normatização e preservação das conclusões destes princípios que foram levantados pelos líderes da Igreja dos primeiros séculos e que foram confirmados e aperfeiçoados pelos reformadores no século XVI. Desprezar tudo isso é mergulhar numa leitura espúria, desregrada e descompromissada do texto sagrado. O erro dessa teologia não está em fazer leituras devocionais e aplicativas da Bíblia, mas em desprezar a questão normativa e doutrinária da mesma.

· A Teologia Quântica

Essa teologia está ligada com a Física Quântica. O problema é que, fascinados com as afirmações da Física Quântica, os emergentes introduziram-nas em sua teologia, criando um verdadeiro caos teológico, onde a onisciência e a onipotência de Deus ficam limitadas em nome da imprevisibilidade. Contrariando a Palavra que diz: “Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados” (Mt.10.29,30).

· Ortodoxia Generosa

É uma terminologia usada para camuflar o fato de que não aceitam ortodoxias bíblicas, que normalmente confundem com uma estrutura filosófica construída em torno da Bíblia, só para justificar e manter vivo o sistema eclesiástico. Eles dizem que a teologia cristã precisa ser flexível e submetida a constantes re-exames, a reformulação eterna sendo sempre adaptada à realidade da pós-modernidade. Passagens bíblicas em discordância: “Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam. Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso.”. (Pv.30.5,6). “Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que eu vos mando”. (Dt.4.2). “... não andando com astúcia, nem adulterando a palavra de Deus...”. (2Co.4.2). “E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til sequer da Lei”. E etc.

· Universalismo

Também chamado de apokatastasis, termo grego que significa “salvação completa” para todos. O universalismo sustenta que todos os seres vivos alcançarão completa salvação e esta posição é adotada por muitos grupos religiosos fora do limite do Cristianismo tradicional. Enquanto que a Palavra de Deus diz o contrário: “Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus” (Jo.3.36). “Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado” (Mc.16.16). E etc.

· Teísmo Aberto

Essa teologia também é chamada de Teologia Relacional, Novo Teísmo (neoteísmo) ou Novo Arminanismo (neo-arminianismo ou arminianismo moderno). Suas doutrinas se resumem assim: o atributo de Deus mais importante é o amor, descartando ou diminuindo os demais como a presciência, onisciência, soberania e eternidade, o futuro está em aberto, Deus constrói com o homem, se arrisca, se torna vulnerável e mutável, o livre arbítrio é visto sob a perspectiva libertária e etc.

Contestação:

A graça ou o amor ou a misericórdia de Deus são atributos superiores aos demais? E a justiça, santidade e retidão? São menores? Um dos vários problemas da Teologia Relacional é colocar os atributos de Deus em desigualdade, como se Deus fosse homem. Pois os seres humanos é que possuem qualidades maiores e menores. Mas, Deus é Deus. Perfeito em sua natureza (Tg.1.17). Deus é amor, mas também é justiça (Sl.7.11). Deus é misericordioso, mas não terá o culpado por inocente (Naum 1.3). Deus é gracioso, mas não anula as nossas responsabilidades e compromissos (Mt.5.16; 1Pe.1.15-17; Ef.4.1; 1Ts.5.22; 2Tm.2.15; 1Tm.3.7; 4.16; 1Co.8.9; At.20.28).

Passagens bíblicas em discordância:


Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos”. (Ml.3.6).

E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas”. (Hb.4.13).

... ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo". (2Timóteo 2.13).

Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre”. (Hb.13.8).

Nos céus, estabeleceu o SENHOR o seu trono, e o seu reino domina sobre tudo”. (Sl.103.19).

O coração do homem traça o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos”. (Pv.16.9).

Porque nada podemos contra a verdade, senão em favor da própria verdade”. (2Co.13.8).

O Amor... não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade”. (1Co.13.4,6).

Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá?”. (Nm.23.19).

SENHOR, tu me sondas e me conheces... Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, SENHOR, já a conheces toda”. (Sl.139.1,3,4).

Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus. Quem há, como eu, feito predições desde que estabeleci o mais antigo povo? Que o declare e o exponha perante mim! Que esse anuncie as coisas futuras, as coisas que hão de vir!”. (Is.44.6,7).

Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo...”. (Jo.21.17).

Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo”. (Jd.v.4).

PONDERAÇÕES FINAIS

Para concluir é importante dizer que os emergentes possuem uma idéia diferente de legalismo. Para nós o legalismo é, de forma geral e à luz da Bíblia, a idéia de justificação pelas obras, a fixação imprópria de regras de conduta que são colocadas como necessidade para a salvação e a negligência ou a ignorância em relação à graça de Deus. Porém, para eles, legalismo é qualquer tipo de exortação concernente à conduta moral. Por isso, muitos emergentes acham que não há problema praticar certos hábitos sociais que para alguns seria reprovável. Para emergir com o pensamento cristão clássico citam os textos ou fazem uso constante das convicções de teólogos controversos e liberais (atuais e antigos), ou até mesmo de ateus com objetivo de abalar o que eles chamam de “sistema falido”.


Ouça O Que O Espírito Santo Diz As Igrejas
Pelo Dom José Kennedy de Freitas - Ph. D
Bispo de Confissão Anglicana

Texto Apocalipse 3.6

Introdução
A Igreja Cristã no Brasil (Anglicana, Romana, Ortodoxa e Evangélica), está indo bem, está mais ou menos, está indo muito mal. Em uma mesma Igreja temos gente que procura andar com Deus, gente apática e gente que já abandonou as fileiras do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo (Cristãos IBGÉ). Em uma mesma Paróquia temos pessoas que vive e morre pela verdade e também aquelas pessoas que a negociam a Palavra de Deus e a trocam por vantagens imediatas.

I – Crise de Integridade no meio dos Ministros de Deus

Amados irmãos e Ministros aqui presentes, na verdade, estamos vivendo atualmente uma CRISE DE INTEGRIDADE NA IGREJA DE HOJE. Há um enorme abismo entre o que pregamos e o que vivemos. Há um grande abismo entre o que falamos e o que praticamos. A Igreja de hoje (estou falando da liderança), tem um lindo e belo Discurso,  mas não tem Vida; ela tem muito Carisma,mas não tem Caráter; ela até tem muita Influência Política, mas não possui Poder Espiritual.

Meus queridos há sem dúvida alguma uma esquizofrenia instalada em nosso meio. Tornamo-nos uma Igreja ambígua e contraditória, em que o Discurso Mascara a Vida, e a Vida Reprova o Discurso! Estamos vendo o florescimento de uma Igreja Narcisista, com síndrome de Laudicéia, pois se julga Rica e Abastada, mas que na verdade, está CEGA, POBRE E NUA. Estamos vendo crescer entre nós, uma Igreja que aplaude e dá nota dez a si mesma quando se olha no espelho, mas que não passa no crivo da Integridade nem pode ser aprovada ao ser submetida ao teste da Sã Doutrina.

II – Vivemos uma Espiritualidade Completamente Atrofiada

Estamos vendo a cada dia o crescimento de uma liderança religiosa completamente Ufanista e Triunfalista, que se encanta com o seu próprio crescimento numérico de sua Igreja, mas que ao mesmo tempo se APEQUENA NA VIDA ESPIRITUAL.

Temos observado que há uma grande explosão numérica em várias Igrejas hoje, mas vemos também que há um ATROFIAMENTO ESPIRITUAL NESSAS IGREJAS. Estamos vendo crescer uma Igreja que se vangloria de produzir dezenas de Bíblias de Estudos, mas que também tem produzido uma geração de líderes e fiéis completamentes analfabetos de Bíblia.

III – A Falta de Ética e Doutrina na Igreja Atual

Queridos, temos observado o crescimento em nosso País de uma Igreja Cristã sem Ética e sem Doutrina (não importa qual seja a sua nomenclatura). Uma Igreja Cristã que rifa a verdade por dinheiro, que joga a Ética pra debaixo do tapete e, mesmo assim grita palavras de ordem chamando as pessoas ao arrependimento.

No passado a Igreja tinha autoridade para chamar o Mundo ao arrependimento; hoje, é o Mundo que tem ordenado a Igreja a se arrepender. Na verdade derrubamos os muros que nos separam do Mundo. Queremos ser iguais ao Mundo, no tolo discurso de atraí-lo para o Reino de Deus (I João 2. 15). Perdemos nossa Identidade e nossa Integridade Cristã.

Nossa luz apagou-se debaixo do alqueire; Tornamo-nos sal sem sabor, que não presta para mais nada, senão para ser pisado pelos homens. A falta de Ética entre a Liderança de nossas Igrejas é patente!  Tenho visto em meus poucos anos de vida Sacerdotal e Episcopal que há entre nós Bispos e Sacerdotes uma falta de Ética e Segurança Doutrinária. No meio Evangélico não é diferente. Olha se você não faz parte da Igreja A ou da Igreja B eu não te reconheço como nada

Tem Sacerdotes e Bispos que não conseguem se livrar do Romanismo, pertencem a uma Igreja Nacional, mas insistem em se apresentarem como Sacerdotes Romanos, parecem que se sentem incapazes de fazer um trabalho sério e honesto, e precisam dizer aos quatro cantos: Olha nós somos a mesma coisa da Igreja  de Roma e etc... Quanta falta de Ética e valorização de si mesmo.

IV- Estamos Vendo Crescer Uma Igreja Mercado

O que não bastasse tudo isso, estamos vendo crescer nesses últimos dias, é uma Igreja Mercado que escancara suas portas e usa a Religião como Fonte de Lucro! Estamos vendo crescer uma Igreja que constrói novos Templos como se abre franquias, não com o propósito de pregar a Verdade, mas apenas de granjear riquezas.

Temos visto os Templos se transformando e praças de negócios, os Altares se transformando em balcões de comércio, o Santo e Glorioso Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo em produto lucrativo e os nossos Fiéis em consumidores devoradores.

Temos visto Igrejas se transformando em lucrativas empresas e certos pregadores inescrupulosos criando mecanismos heterodoxos para granjear fortunas em nome do Senhor Jesus Cristo.

V – Estamos Vendo o Crescimento de Uma Igreja Mística e Sincrética

Nesses últimos dias, temos observado o crescimento em nossa Pátria de uma Igreja Sincrética, Mística que prega outro “evangelho”, um “evangelho” diferente que, de fato, não é e nunca será Evangelho! (Em Trindade/GO a adoração Pagã do Divino Pai Eterno, entre os Neopentecostais a tal Vigília do Re-Te-Té, enfim, vários abusos em nome do Santo Evangelho).

Estamos vendo o crescimento de uma Igreja que prega o que o povo quer ouvir e não o que o povo precisa ouvir. Uma Igreja que prega Prosperidade, mas não prega a Salvação em Cristo Jesus; que prega Milagres e Curas, mas não prega a Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo e sua Redenção; uma Igreja centrada no homem, e não centrada em Deus. É lamentável o que vemos hoje.

VI – Estamos Vendo o Crescimento de Uma Igreja Vaidosa.

Amados, estamos também vendo crescer em nossa Nação, uma Igreja amante dos holofotes, embriagada pelo Sucesso, sedenta de aplausos, em que seus Líderes, Pregadores e Cantores são tratados como verdadeiros Astros de Cinema.

Estamos trocando nosso direito de primogenitura por um prato de lentilhas das glórias humanas, rendendo-nos à TIETAGEM E AO CULTO À PERSONALIDADE, colocando homens em um pedestal, afrontando, assim, nosso Único e Bendito Senhor, que não divide sua Glória com ninguém (Isaías 42. 8). O povo glorifica o padre fulano de tal, o pastor ou apóstolo beltrano, mas esquecem-se de glorificar a Deus.

VII – Estamos Vendo o Crescimento de Uma Homérica Crise Na Liderança de Nossas Igrejas

Meus queridos, não podemos deixar de falar que estamos vendo crescer uma homérica crise na liderança das nossas Igrejas. É importante deixar claro, que uma das classes mais desacreditadas da Nação Brasileira são os Sacerdotes, Bispos e os Pastores Evangélicos.
Há Sacerdotes, Bispos e Pastores Evangélicos não convertidos no Ministério. Há muitos que entram no Sacerdócio por causa do seu Bônus, mas não aceitam o seu Ônus. Há uma legião de Bispos, Sacerdotes e Pastores Evangélicos que só querem às bênçãos do Ministério, mas não estão dispostos às cicatrizes dele;

Eles querem os louvores do Ministério, mas não estão dispostos à pagarem o preço. Querem o luxo, mas não querem as privações. Há aqueles que fazem do Sacerdócio ou Pastorado um refúgio para esconder a sua preguiça e seu comodismo. Há Bispos, Sacerdotes e Pastores Evangélicos confusos doutrinariamente no Ministério, indivíduos que não sabem para onde caminham, por isso, são influenciados por todo Vento de Doutrina, deixando seu rebanho à mercê dos Lobos travestidos de ovelhas (Atos 20. 28-32). Há Sacerdotes que estão em pecado no Ministério e já perderam a sensibilidade espiritual, pois condenam nos outros os mesmos pecados que praticam em oculto.

Conclusão

E, finalmente, estamos vivendo uma Crise de Valores na Igreja. Abandonamos a simplicidade do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Substituímos a São Doutrina pelas Novidades do chamado “Mercado da Fé”. Trocamos a verdade do Santo Evangelho pelo Sucesso. Substituímos a Homília pelo Espetáculo.

Colocamos no lugar da oração, os grandes ajuntamentos, em que saltitamos ao som estrondoso dos nossos instrumentos eletrônicos. Precisamos desesperadamente voltar ao primeiro amor. Precisamos urgentemente de uma nova Reforma na Igreja de hoje. Precisamos de um revestimento e do Poder do Espírito Santo em nosso meio. Precisamos de Bispos e Sacerdotes fiéis que prefira a morte à Apostasia.

Precisamos na Igreja de Bispos e Sacerdotes que amem de verdade a Palavra de Deus mais do que o Lucro. Precisamos de Bispos e Sacerdotes que chore pelos seus pecados e pelas almas que perecem, e não pelas dificuldades da vida. Precisamos de homens de Deus que preguem aos ouvidos e aos olhos.

Pensemos nisto, Amém!