quinta-feira, 12 de abril de 2012

MÁSCARAS II




REMOVENDO A MÁSCARA DA PIEDADE CRISTÃ

Por Dom J. Kennedy de Freitas – Ph.D
Bispo Anglicano

Texto: I Samuel 16. 1-7

INTRODUÇÃO

O Carnaval é a festa das Máscaras, a festa da Idolatria do Luxo e a Apoteose do prazer carnal. Algumas pessoas escondem-se atrás das Máscaras, outras pessoas se revelam através delas.

Muitas pessoas vivem enrustidas o ano inteiro e assumem a sua verdadeira identidade no Carnaval. As Máscaras escondem e oferecem um certo “refúgio”. As Máscaras libertam da preocupação com a censura, dando-lhes uma falsa segurança. As Máscaras escondem uns e revelam outros.

O Carnaval é uma festa Popular porque todos ficam à vontade e representam nas passarelas um papel que muitas vezes sentem-se constrangidas de viver na vida real. Elas jogam para fora seus sentimentos ocultos e desejos camuflados. As Máscaras, ao mesmo tempo em que servem de escudo para lhes proteger do juízo alheio, abre-lhes os portões da aparente “liberdade” para viver o que de fato são!

As Máscaras não são uma exclusividade do Carnaval. Elas estão presentes em nossas indumentárias todos os dias. Há Máscaras de todos os tipos, tamanhos e formas. Existem aquelas Máscaras com qualidade especial: Transparência apenas de um lado ___ O mascarado pode ver a todos, mas estes nãopodem vê-lo.

Na verdade, todos nós usamos Máscaras! Elas fazem parte de nossa roupagem. Quem diz que NUNCA as usou, está acabando de afivelar uma Máscara em seu rosto: A MÁSCARA DA MENTIRA!

Por que usamos Máscaras? Porque nós temos medo de que nos identifiquem! Se pensarmos que nunca em nossas vidas usamos Máscaras ou não as temos em nosso armário, acabamos de colocar uma pesada Máscaras da Mentira em nosso rosto.

Muitas vezes, as pessoas  nós amam unicamente pelo que aparentamos ser! Amam nossa Máscara, não nossa personalidade. Mui frequentemente colocamos uma Máscara que é uma fachada de amabilidade e então, somos amados pelo que projetamos. Mas, lá dentro, atrás da Máscara, reside nosso verdadeiro “EU”.

Fazemos da vida um teatro e, no palco dos relacionamentos, colocamos nossas Máscaras preferidas para representarmos o papel que mais agrada as pessoas! Na verdade, nós mesmos chegamos a admirar a beleza de algumas Máscaras que usamos.

Máscara é tudo aquilo que esconde a nossa verdadeira identidade. Tentamos vender uma imagem positiva, fazemos propaganda enganosa. Burlamos o princípio da integridade. Tentamos ser o que de fato não somos. Sacrificamos a verdade e alçamos a voz para gritar e proclamar não o que somos, mas o que aparentamos ser!

Vestimo-nos com PELE DE OVELHA, enquanto na verdade, bate em nosso peito um CORAÇÃO DE LOBO! A Máscara da Piedade é um embuste, uma farsa, um engodo, uma trombeta com sonido incerto, com mensagem falsa, emitida por um falso arauto!


I – A MÁSCARA DA PIEDADE CONSPIRA CONTRA O CARÁTER SANTO DE DEUS


O falso piedoso mente para Deus, para si mesmo e para os outros. Ele tenta enganar e impressionar com uma “espiritualidade” que não  tem! Ele vende um produto que não possui.

Sua aparência é de Anjo, mas seu coração é de Demônio! Sua Cara é de Santo, mas sua vida é de um ímpio!

II – A MÁSCARA DA PIEDADE ATENTA CONTRA A SANTIDADE DE DEUS

Quem a usa pensa que pode enganar a Deus. Quem, a coloca no rosto, tenta mentir para o próprio Deus e impressioná-lo com virtudes que não possui.

O Apóstolo São João afirma que aquele que disser que não tem pecado não apenas mente para Deus, mas faz de Deus mentiroso (I João 1. 10).


III – A MÁSCARA DA PIEDADE ATENTA CONTRA A VERDADE DE DEUS

Falar uma coisa e viver outra é a mais consumada hipocrisia (Significado). Isso é mentira em grau superlativo! Viver uma mentira em nome da verdade é blasfêmia; é conspirar contra a Santa e Gloriosa Palavra de Deus que é Luz!

A mentira e a farsa são filhas das trevas. A Luz da falsa Piedade é uma Luz Falsa, uma Ilusão de Ótica, um Engano Consumado!

IV – A MÁSCARA DA PIEDADE ATENTA CONTRA O PRÓXIMO

Amados, traímos o próximo quando apontamos um caminho pelo qual não andamos! Falseamos a verdade ao proclamarmos uma Mensagem que nós mesmos não abraçamos. Ferimos o próximo quando nos condenamos outros um pecado que nós mesmos cometemos.

Somos desonestos quando projetamos nos outros nossos próprios erros. Tornamo-nos falsos quando condenamos nos outros o que nós mesmo fazemos. Os falsos Piedosos são os Mestres do Pecado. Seus pecados são hipócritas e mais Pérfidos.

MAIS HIPÓCRITAS porque pecam contra um maior conhecimento; E MAIS PÉRFIDOS, porque praticam em oculto aquilo que condenam em público.

Eles engajam-se contra o pecado em público e o praticam às escondidas. Ficam escandalizados quando a Máscara cai! O Senhor Jesus Cristo disse que seria melhor amarrar uma corda no pescoço e afogar-se no mar do que ser pedra de tropeço (Mateus 18. 6).

O escândalo é uma pedra de tropeço! Quando a Máscara cai, muita gente fica decepcionada, perplexa e ferida. Outros se escandalizam e retrocedem no caminho, cheios de dúvidas e mágoas.

V – A MÁSCARA DA PIEDADE ATENTA CONTRA O CARÁTER CRISTÃO

Como uma pessoa pode promover o testemunho cristão vivendo uma mentira? Como uma pessoa pode inspirar a devoção com um engano? Encorajar alguém a andar com Deus e viver em Santidade de vida, vivendo na IMPIEDADE?

O Falso Piedoso esconde o seu orgulho e a sua soberba atrás de grossas Máscaras. O falso Piedoso sente necessidade compulsiva de ser reconhecido, elogiado e aceito.

O falso Piedoso depende de elogios e não tolera as críticas. O falso Piedoso depende de estar sempre no Palco, sob as Luzes da Ribalta, ele precisa estar debaixo dos Holofotes.

O falso Piedoso busca mais a aprovação dos homens do que o agrado de Deus.  O falso Piedoso está mais preocupado com a propaganda falsa de sua imagem do que com a Glória de Deus.

Amados irmãos, a Máscara da Piedade é sem dúvida alguma fogo estranho diante de Deus.

A Máscara da Piedade é atraente, mas é falsa! A Máscara da Piedade tem cor, mas não calor. Ela têm aparência, mas não possui realidade: TUDO É FALSO!


VI – A MÁSCARA DA PIEDADE ATENTA CONTRA O SEU USUÁRIO

Querido irmão e irmãs, usar essa Máscara é mentir para si mesmo! Auto-engano é desenvolver uma esquizofrenia espiritual. É golpear de morte a integridade pessoal.

É pensar que está vivendo na Luz, quando na verdade, está imerso nas mais densas trevas.

É achar que está trilhando no caminho estreito, que leva ao céu, enquanto segue pelas largas veredas que desemboca no Inferno!

CONCLUSÃO

Muitas pessoas aparentam ser o que não são! Tentam substituir a essência pela forma. A semelhança do seu irmão Abel, Caim também trouxe uma oferta ao Senhor Deus.

Externamente Caim também era um adorador! Mas Deus não aceitou a sua oferta porque rejeitou a sua vida (Gênesis 4. 4,5).

Antes de receber a nossa adoração, Deus precisa aceitar a nossa vida. O profeta Malaquias denuncia os Sacerdotes de sua época que não davam honra ao nome de Deus e inutilmente estavam acendendo o fogo no Altar (Malaquias 1.10).

Podemos meus irmãos ter um belo desempenho diante dos homens e sermos totalmente reprováveis aos olhos de Deus.

Podemos, equivocadamente convencer a nós mesmos de que estamos tendo uma vida de vitórias, quando na verdade somos a própria imagem do fracasso.

A Igreja de Laodicéia tinha um alto conceito de si mesma. Ela se achava uma Igreja rica, abastada e que não precisava de coisa alguma. Mas, o Senhor Jesus Cristo a considerou Pobre, Cega e Nua (Apocalipse 3. 17).


Podemos estar enganados até mesmo com respeito à nossa Salvação! O Senhor Jesus Cristo alerta sobre esse perigo (Mateus 7. 21-23).

Muitas pessoas pensam que sua ortodoxia e obras extraordinárias são a base de sua Salvação, mas o exame do Senhor Jesus é mais profundo e diagnostica a prática da iniquidade associada às coisas Santas.

Existem aqueles que pensam ser melhores do que os outros. O Fariseu, por exemplo, deu graças a Deus por não ser como os demais homens e muito menos como o miserável Publicano que humildemente rogava clemência a Deus.

Contudo, a despeito de sua vanglória, o fariseu foi rejeitado e o homem a quem desprezava foi justificado ( Lucas 18. 9-19).

Vemos muita gente trajando a Máscara da Piedade em nossas Igrejas. Elas exibem um discurso espiritual, mas uma vida medonha. São investigadores da vida alheia, que apontam para o cisco do olho dos outros sem enxergar a trave que está nos próprios olhos (Mateus 7. 3).

São pessoas intolerantes com os demais, mas relaxadas consigo mesmas. Apontam sem caridade os pecados dos outros, e fazem vistas grosas aos seus próprios pecados.

São hipócritas que se escondem detrás das grosas Máscaras da Piedade!

Pensemos nisto, amém!