quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

SUCESSÃO DOS APÓSTOLOS ENTRE OS ANGLICANOS


SUCESSÃO DOS APÓSTOLOS ENTRE OS ANGLICANOS
De: João Carlos de Almeida Júnior
Enviada em: Sábado, 16 de novembro de 2011
Localidade: Japeri – Estado do Rio de Janeiro
          Religião: Católico Apostólico Romano
          Idade: 46 anos
Escolaridade: Tenetente Fuzileiro Naval – Marinha do Brasil
Caro Rev. Dr. José Kennedy de Freitas, Salve Maria.
Gostaria, mais uma vez, de agradecer sua respostas às minhas dúvidas.
Li o artigo sobre as ORIGENS DA IGREJA ANGLICANA, do qual gostei muito, mas me pairou dúvida sobre um item do artigo.
O senhor afirmou que "A Santa Sé, ainda no tempo de Leão XIII, declarou oficialmente que os anglicanos não têm sucessão apostólica. Isto significa que a Igreja Católica não reconhece que os chamados Bispos anglicanos tenham sido validamente sagrados."
Poderia me repassar algum documento (ou trechos do mesmo) que cite mais especificamente por que a Igreja Anglicana não tem reconhecida a Sucessão Apostólica? Pois até onde sei, apesar de as Igrejas Ortodoxas serem separadas de Roma e administrarem ilicitamente os sacramentos, o Vaticano reconhece a Sucessão Apostólica nas Igrejas Ortodoxas, ao contrário, portanto, das Igrejas Anglicanas. Por quê?
Mais uma vez agradeço sua disposição, certo de que me responderá o mais breve possível.
João Carlos Almeida Júnior
Resposta Anglicana
Prezado amigo e irmão em Cristo Jesus,
João Carlos Almeida Júnior
Sem a pretensão de esgotar o assunto, recomendamos a leitura dos três documentos a seguir, que explicam a nulidade das Ordenações Sacerdotais entre os Anglicanos:
1. A exposição do problema na Enciclopédia Católica, que você encontra em: http://www.newadvent.org/cathen/01644a.htm; Está em inglês, resumo então os pontos principais: o Papa Leão XIII convocou um grupo de estudos para analisar o problema das ordenações sacerdotais na Inglaterra, e do estudo, submetido depois à análise dos cardeais, resultou a Bula Apostolicae Curae, que declarou nulas as Ordenações Anglicanas, e portanto a perda do caráter Apostólico por essa Seita Protestante quando de sua separação de Roma. Separação, aliás, pelo motivo futilíssimo, pelo absurdo orgulho do rei Henrique VIII, por separar-se da esposa legítima e "casar-se" uma segunda vez. "Casou-se" mais seis vezes, é claro.
Os motivos são extrínsecos e intrínsecos:
Extrínsecos: desde o século XVI, a Igreja mandava reiteradamente ordenar incondicionalmente os Padres (Presbíteros) Anglicanos convertidos ao Catolicismo; como a ordem é um sacramento que imprime caráter, não pode ser ministrado uma segunda vez. Portanto, essa atitude reiterada da Igreja mostra que sempre se considerou a ordem nula no Anglicanismo;
Intrínsecos: no dizer do Papa Clemente XI (em 1704), o sacramento era conferido com "defeito de forma e intenção"; a fórmula de Eduardo VI usada para a Ordenação Anglicana, criada em 1552 e chamada "Edwardine Ordinal" era imperfeita. Mesmo os Anglicanos reconheceram isso, e a modificaram mais de 100 anos depois, tendo acrescentado as palavras "para o ofício e função de padre" que não constavam no original.
Como a forma do sacramento e mesmo a intenção não eram aquelas prescritas pela Igreja tais como ensinadas por Nosso Senhor, o Papa Leão XIII declarou de forma definitiva que não há mais Sucessão Apostólica entre os Anglicanos, tanto dos Padres quanto dos Bispos.
2. A Bula do Papa Leão XIII, Apostolicae Curae, que é a doutrina oficial da Igreja sobre o assunto; pode ser encontrada em http://www.newadvent.org/docs/le13ac.htm;
3. O comentário do Cardeal Ratzinger (Hoje o Papa Bento XVI)ao Motu Proprio Ad Tuendam Fidem, quando era prefeito da Congregação para Doutrina da Fé afirma que a doutrina contida na Bula Apostolicae Curae pertence à categoria das verdades que devem ser professadas pelos fiéis Católicos Romanos como "propostas para a Igreja de modo definitivo", e não podem ser colocadas em dúvida por nenhum católico; esse comentário explica porque o Papa João Paulo II acrescentou (em 1998) no Código de Direito Canônico uma Condenação Especial aos Teólogos que divergem de Doutrinas com tal caráter.
Você encontra o comentário "SIN PROFESION DE FE EL CRISTIANISMO SE DESMORONA" em:
http://198.62.75.1/www1/maracaibo/cardenal_ratzinger_para%20defender%20la%20fe.htm

Já os Ortodoxos mantiveram a forma e a intenção da Igreja ao ministrar o sacramento da ordem. Portanto, embora ilicitamente, os Sacerdotes Ortodoxos são validamente ordenados, ao contrário dos Anglicanos.
Não se deve esquecer, porém, que os Ortodoxos são cismáticos e hereges, e não se pode pretender a salvação na Igreja Ortodoxa, pois fora da Igreja Católica Apostólica Romana não há salvação.
(http://www.montfort.org.br/veritas/foradaigreja.html) e
(http://www.montfort.org.br/veritas/batismodedesejo.html).
Esperando tê-lo esclarecido suas dúvidas, despedimos-nos atenciosamente em Cristo Jesus nosso Senhor e Único Salvador

Rev. Dr. José Kennedy de Freitas – Ph.D – Bispo Eleito