quarta-feira, 5 de outubro de 2011

CRISTIANISMO EM CRISE


CRISTIANISMO SEM CRISTO
UMA ANÁLISE DA IGREJA CRISTÃ EM SOLO BRASILEIRO
Por Rev. Dr. José Kennedy de Freitas
Reitor da Missão Anglicana Reformada no Centro Oeste, Ph.D em Ciências da Religião e Filósofo
O título “O Cristianismo sem Cristo”, ou seja, “O Cristianismo em Caos”, traz um grande desafio e uma enorme tarefa para nós Ministros do santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Este tema representa uma forma de contribuir para o entendimento de um Cristianismo sem turbulência e estável. Na verdade, queremos dar ao povo cristão uma idéia de como o atual Cristianismo se transformou em religião sem a Pessoa Augusta de Nosso Senhor Jesus Cristo.
De qualquer forma, o atual cenário do Cristianismo falido não irá de modo algum, riscar da história os desígnios de Deus para com Sua verdadeira Igreja. Por verdadeira Igreja entendemos que seja a Comunidade que apresenta a verdadeira pregação do santa e gloriosa Palavra de Deus, a verdadeira administração dos Sacramentos (Ordenanças), o exercício da disciplina cristã, e o ajuntamento dos Eleitos de Deus em todas as eras e lugares, independentemente de professar algum credo teológico, pois o que leva uma pessoa a seguir o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo é exatamente a sua verdadeira fé, o seu testemunho de vida, sua ética cristã, sua esperança de Vida Eterna, sua comunhão com Deus e com Sua Palavra revelada e escrita na história.
Vivemos dias maus, cuja as pessoas estão com suas mentes corrompidas, homens e mulheres amantes de si mesmos, a liderança religiosa gananciosa, os políticos dominados pelo prazer da perversidade, da exploração e da injustiça social (II Timóteo 3. 1-6). Estamos vivendo tempos em que as pessoas estão desprezando os valores éticos, morais, familiares e cristãos, pois estão usando a liberdade (se é que existe) para mudar o curso  da história e transformá-la em verdadeiro caos, num mundo de ilusão na matriz da incerteza. Será que existe o amor? Será que o respeito e a moralidade existe? Será que a verdade está em nosso meio?
O DECLÍNIO DO CRISTIANISMO
A Triste Reforma do Cristianismo Moderno
As Sagradas Escrituras afirma claramente que uma grande apostasia terá que acontecer antes da Volta do Senhor Jesus Cristo (II Tessalonicenses 2. 1-9). Os cristãos atuais estão (“em parte”) sendo enganados por novos conceitos que aparentemente apresentam como solução para a Igreja Cristã. Quais os perigos da crescente aceitação e prática do Pensamento Positivo? Da Teologia do Sucesso? Da chamada Igreja de Inclusão? Da Cura da Memória? Das Filosofias de Auto-Ajuda?
A Crise existente hoje no Cristianismo não se dá como um ataque frontal ou como repressão as nossas crenças cristãs. Não! Ao invés disso, ela se apresenta na forma das últimas filosofias da moda oferecendo felicidade, vida saudável, mais educação e até mais espiritualidade. Este, aliás, é um tema extremamente necessário para o tempo em que vivemos, uma clara conclamação para que os cristãos escolha entre o original e a imitação, entre o verdadeiro e o falso, pois somente assim podemos escapar da crise que nos assola e tenta fazer de nós reféns indefesos.
UMA FÉ PROFISSIONALIZANTE
O cenário da crise do Cristianismo Moderno juntamente com a “Fé” profissionalizada atual acontece exatamente onde se instalou uma cruzada pagã totalmente alheia à verdade histórica da Igreja Cristã. O que é interessante nesse jogo de xadrez é que as tradições cristãs, ou seja, aquelas verdades, valores e bons costumes que caracterizaram o Cristianismo Histórico e Bíblico, simplesmente desapareceram cedendo lugar a um “Culto” voltado para um “Cristianismo” Alternativo.
Aquilo que entendemos como Religião e Fé viraram PRODUTOS DE MERCADO. Só que se trata de um Mercado com clientela certa, lucro certo, produção (Atacado e Varejo) certa, dependendo da cotação do dia. Transformaram a Fé das pessoas em objeto de exploração e consignaram a espiritualidade à mercê das bolsas de valores à maneira do Capitalismo. Todavia, a intenção dessa vez é a riqueza e o crescimento exagerado da classe eclesiástica dominante.
A HERMENÊUTICA DA APOSTASIA
Dom Rogério Ribeiro Campos, Bispo da Diocese do Bom Pastor – Brasil da Igreja Anglicana Carismática , declara: “A falta de uma liderança comprometida com a Pessoa Augusta de Nosso Senhor Jesus Cristo e com Sua Verdade Bíblica levou muitos candidatos ao Sacerdócio Pastoral a optarem pela soberba e isso fez com que o Cristianismo sofresse duros golpes de traição”. Em que a Igreja Cristã pode confiar hoje?
A Igreja Cristã foi traída e enganada não por homens santos e comprometidos com o Senhor Jesus Cristo (esses são a Igreja), mas por uma liderança amantes de si mesmos e que se entregaram à corrida atrás da fama, da cobiça, do status e do conforto material. Uma liderança corrompida e pagã.
Dom Lucas Macieira da Silva, Bispo Anglo-Católico na cidade de Belo-Horizonte/MG, declarou com base: “De3sde o tempo de seminarista, sempre pensei que um dia o Cristianismo entraria em estado de colapso terminal, em crise, em caos, fraqueza, uma hermenêutica enganosa e problemas de toda sorte histórica, doutrinária, administrativa, moral, ética e teológica. Eu já esperava isso, afirmo com muita tristeza em meu coração” (Anotação Abril 2011).
FALTA DE UNIDADE
A falta de Unidade entre nós cristãos tem gerado o que podemos denominar de “câncer religioso”. Só o Espírito Santo de Deus é capaz de distinguir quem é fiel e quem é falso nesse corpo chamado Cristianismo Pós-Moderno. Até os filhos de Deus “podem” ser atingidos por essa avalanche de corrupções espirituais e distorções hermenêuticas sob a influência e a força política e eclesiástica.
Contudo, os Eleitos de Deus jamais serão enganados ou convencidos a tomar caminhos falsos e repletos de traição, de mentira e de pseudo-adoração. As maiores tragédias do Cristianismo surgiram dentro do seu próprio povo, dos seus mais importantes líderes, pois quem não tem fama não influencia. A coisa mais diabólica que pode existir no Cristianismo é alguém que diz seguir o Senhor Jesus Cristo, ser capaz de matar seu semelhante, tanto no sentido físico (crime) como na dimensão espiritual (pecado).
Lamentavelmente, há “Igrejas” que se dizem cristãs, que estão envolvidas com heresias, com um Movimento denominado de Igreja de Inclusão. Esse Movimento deve sua origem, na Inglaterra, e seu objetivo é incluir no rol de líderes, homossexuais. No Brasil, uma Província Anglicana tem apoiado tal Movimento, seu Arcebispo já declarou com todas as letras que para ele não há nenhum problema realizar o casamento religioso de  casais gays. Onde vamos parar? Que Deus tenha misericórdia de nós.
A HERMENÊUTICA DA SERPENTE
O Pastor Evangélico Dr. Roberto dos Santos, no Distrito Federal, assim declarou: “Não precisamos de muitos argumentos para provar que a espécie humana é a pior de todas da face da terra. Ser imagem de Deus não significa que a perfeição seja algo interno. Pelo contrário, a queda caracterizou a própria desorientação do desejo. O que não presta está sempre na moda, mas o que é bom cai facilmente em desuso e sai da lembrança. Degeneração da Natureza Humana é o que eu chamo de ‘pecado’! É um processo, uma evolução da tendência para a prática do mal, a recusa ao arrependimento e a vontade de fazer sempre algo mais que aborreça os outros” (Anotações da apostila A Crise na Igreja Cristã, p. 22). Não existe um Cristianismo separado do pecado pórque a religião do Senhor Jesus Cristo é constituída de pessoas e estas são todas desde o nascimento, pecadoras e incapazes de parar de pecar.
O problema maior, pelo que parece, é que a rede foi lançada e os peixes que foram apanhados nem sempre se adaptaram ao novo “habitat”, estranhando a recente comunhão com Cristo Jesus. Tais “Sacerdotes”, “Pastores” e “Bispos” que se diziam cristãos, estão acostumados com as mazelas do pecado e tem dificuldade para se adaptarem à Santidade em Cristo Jesus (Hebreus 12.14). Aliás, esse apoio ao Movimento de Inclusão de homossexuais no Sacerdócio Pastoral da Igreja, prova que tais “Ministros” religiosos, permanecem firmes nas Igrejas SEM NUNCA TEREM SE CONVERTIDO DE VERDADE AO SANTO EVANGELHO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.
Até parece que adianta dogmas, liturgias, catecismos, paramentos litúrgicos, campanhas de jejuns e orações, aconselhamentos, teologia, centro de recuperação, e tantas outras coisas para provar que tal “cristão” é realmente um cristão. A crise espiritual do Cristianismo sem Cristo Jesus influenciam as pessoas a gostarem da queda, do fracasso e do caos.
Só a ajuda especial do espírito santo pode levar o ser humano estragado pelo pecado, a amar a Deus e a manter-se debaixo da Sua preciosa Graça incomensurável. A atual crise da desobediência está introjetada na alma do ser humano como uma leucemia espiritual, de tal forma que o pior se torna doce e o melhor é amargo e indesejável (Isaías 5.20; Miquéias 7. 1-10). Como se o ser humano se torna amante do santo Evangelho no meio da crise? Antes de tudo, é preciso se libertar da Síndrome do Éden, do Mal de Adão e da Hermenêutica distorcida da Serpente (o diabo).
Precisa, igualmente, desviar-se da crise, pular a cerca e voltar4 para dentro do jardim através da Pessoa Augusta do Senhor Jesus Cristo, o porteiro, que está sempre chamando as pessoas: Voltem, Voltem, Voltem! Na verdade, muitos estão voltando de mentira, e isso tem fortalecido a crise, porque muitas pessoas que convidam os estranhos vivem construindo o caos, de forma a expulsá-las para mais longe.
São estes “sacerdotes” ou “Ministros” que assolam a fé interna das Igrejas Cristãs e levam a multidões para o fruto proibido, garantindo que tal árvore dá conhecimento suficiente para se libertar de Deus. Na verdade, esse tipo de “cristão” tem as estratégias para ressuscitar a Dialética da Serpente, a Hermenêutica do Diabo, a Exegese do Inferno e, com isso, neutralizar as ricas bênçãos de Deus.
Pode não significar que o Espírito Santo seja dominado por situações de caos. O problema é que o Espírito Santo não encontra clima espiritual digno para as suas santas ações. O mover do Espírito Santo através da Igreja se torna prejudicada o devido à sujeira que se encontra dentro das suas estruturas
A FRAGMENTAÇÃO DA FÉ CRISTÃ
Somos todos prisioneiros, mas alguns de nós estamos em jaulas com janelas e outros não” (Dom Rogério Ribeiro Campos, Bispo da Diocese do Bom Pastor – Brasil da Igreja Anglicana Carismática). Vale a pena lembrar que, no início do Cristianismo, tivemos somente a fé bíblica e ortodoxa. Naquele tempo, a Igreja Cristã não aceitava nenhuma doutrina fora das Sagradas Escrituras. Em nossos dias, vale tudo!  A liderança Anglicana ou Protestante-Evangélica estão liberando doutrinas básicas por conta própria como se fossem (porque não são) DONOS DA IGREJA que presidem. Qualquer lixo religioso que tiver rótulo de ‘Anglicano’ ou de ‘evangélico’ passa como se fosse original.
O Cristianismo brasileiro está doente, pois está sofrendo de congestão eclesiológica, nervosismo missiológico, neurose teológica, enfim, de agitação que tanta gente faz para promover mais um grupo religioso ou galho confessional. Hoje nós temos vários grupos que se enquadram neste pensamento, temos a: Igreja Universal do Reino de Deus, Igreja Internacional da Graça de Deus, Igreja Batista Ministério Internacional do “apóstolo” Renê Terra Nova em Manaus/AM, Igreja Mundial do Poder de Deus, e tantas outras que ferem por completo os ensinos cristalinos do Senhor Jesus Cristo.
Há muitos líderes religiosos que acham-se representantes de Deus na terra, o que na realidade, não passa de síndrome do denominacionalismo, cada um com a sua denominação, o seu “deus”, a sua “doutrina”, a sua “província eclesiástica” e a sua “escatologia”.
CONCLUSÃO
O DESPREZO DAS SAGRADAS ESCRITURAS
Optar pela manipulação do poder do deus e construir uma base institucional separada da Bíblia Sagrada ou diferente dela. Em Atos dos Apóstolos encontramos a figura de Simão, o Mago, que tentou comprar o Poder do Espírito Santo para promover ainda mais os seus negócios. Mas, o Espírito Santo, usando o apóstolo São Pedro, disciplinou automaticamente aquele herege que desejava a unção Divina para fins materiais (visão de lucro). Hoje em dia, as coisas não são muito diferentes, pois diversas “Igrejas” Mercadológicas estão colocando o Senhor Jesus Cristo e suas bênçãos nas vitrines como oferta pelo pecado, pela bênção financeira, pela sorte no amor, pelo bem-estar físico e mental, pela prosperidade material e pelo misticismo mais cego e tosco. As propostas caracterizam mercantilismo e nada de Salvação e Vida Eterna. Estão, portanto, diferentes das verdades Divinas.
Novamente citamos Dom Rogério Ribeiro Campos, Bispo da Diocese do Bom Pastor – Brasil da Igreja Anglicana Carismática: “O Senhor Jesus Cristo virou na boca dessa gente, mercadoria barata e que se encontra no atacado e no varejo, dependendo da necessidade e da contribuição financeira do cliente. Essas ‘Igrejas’ não ensinam mais que as pessoas têm de buscar a Deus em primeiro lugar e que as bênçãos materiais são acrescentadas por Deus – Mateus 6. 19-20”.
Agora, o Modismo é ser Vitorioso em tudo que o coração desejar com a famosa comprovação “EISEGÉTICA”, usando textos de “prova” (até da Lei de Moisés) para “provar” que seus objetivos estão corretos em plena dispensação da Graça de Deus – Mateus 5.17; João 1:, 17,18 e Colossenses 2.14. Oferecem todo tipo de sucesso através da magia de palco, de hipnose coletiva pastoral, de truques espirituais, de motivação da fé e de manipulação de demônios. A demonologia é sem dúvida um grande negócio para essas Sinagogas de Satanás! O Diabo é agora o melhor aliado desses “líderes” que usam a psicologia de modo cínico como fonte de recursos para fazer prosperar de recursos para fazer prosperar seus terreiros denominacionais.
Em algumas dessas ditas “Igrejas”, até parece que deus está “operando” todos os dias, em todos os lugares onde se encontram um “pregador” daquele grupo que, na verdade, nunca recebeu a chamada de Deus nem foi autorizado pelo Senhor Jesus Cristo a fazer tais aberrações. “Deus não tem compromisso com o que dizem os estelionatários espirituais, porque eles não se importam de praticar o Jacobismo em nosso tempo” expressou o pastor batista Jorge da Silva, membro da Igreja Batista de Vila Norma em São João de Meriti/RJ. E finalizando, certas “Igrejas” têm mais cara de carnaval do que de culto e adoração a Deus. Suas reuniões são literalmente shows ao invés de Culto de Adoração.
O resultado dessa fenomenologia de “Culto” será o esgotamento espiritual de muita gente que abandona as Igrejas Cristãs em busca de novas atrações. Esses, quando caem em si, entendem que o que as expectativas das suas paixões carnais, dos prazeres do ego, da sedução da auto-estima, do esvaziamento das realidades de Cristo Jesus. Com isto, reúnem o caos e a deterioração na areia, de acordo com a Palavra de Deus registrada em Mateus 7. 26,27. Em outra oportunidade, continuaremos nosso pensamento.
Pensemos nisto, Amém!